Pedale e Corra para uma vida muito melhor

29/03/2016 22:12

Pedalar faz parte de sua vida, você chega em casa olha para a bicicleta, veste a roupa de ciclismo e parte para mais um pedal. A corrida você conheceu com alguns amigos e religiosamente você calça o tênis e sai duas vezes por semana para treinar. Espera ansiosamente pela prova do mês e não vê a hora de bater o próprio recorde no Strava. Alguns amigos MTB Guaira agora correm e pedalam, fortalecendo as amizades e ganhando condicionamento fisico. Já pensou, então, em incluir treinos de bicicleta na rotina e melhorar seu desempenho nas pistas? Sessões de bike, indoor ou outdoor, podem ajudar no condicionamento vascular, trabalhar a musculatura inferior, aumentar o seu VO2 e, de quebra, lhe livrar da monotonia. E o melhor, não precisa se acabar no pedal. Um ou dois treinos semanais, em dias alternados com a corrida, já geram benefícios ao corredor. Para o médico Moisés Cohen, professor do departamento de ortopedia e traumatologia da Unifesp e diretor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, em São Paulo, a bicicleta, por se tratar também de uma atividade aeróbica, ajuda os praticantes de corrida, pois ao misturar estas atividades, há uma melhora da resistência da musculatura dos membros inferiores, cuidado importante para a prática da corrida. "Além de melhorar o condicionamento físico através dos sistemas cardiorrespiratório e vascular".

"A bicicleta pode fazer parte do treinamento de corrida como uma alternativa de exercitar o músculo cardíaco e o sistema respiratório sem o impacto típico da corrida" diz o professor de bike da academia Bio Ritmo, Gilberto Ambrogi, o Giba, ex-campeão brasileiro de ciclismo e maratonista. "O ciclismo traz aumentos significativos na capacidade aeróbica e no metabolismo das gorduras. Além disso, sobrecarrega menos as articulações (joelho, coluna), pois é considerado um esporte de baixo impacto, se comparado à corrida". 

Para ele, como a solicitação muscular ao pedalar é completamente diferente da corrida, isso pode favorecer o maior equilíbrio muscular das pernas do corredor. "No entanto, com base no princípio da especificidade do treinamento, se você quer correr melhor deve focar seus treinos na corrida, deixando o ciclismo apenas como coadjuvante do treinamento". 

A corredora santista Luciane Mecias é figurinha carimbada nos pódios femininos de provas de 10 km, revezamento e meias-maratonas, pela região de São Paulo e Santos, cidade na qual mora. Durante a semana, para dar um gás no condicionamento, ela usa a bicicleta como meio de locomoção e chega a pedalar 30 km por dia. "Se preciso de força para determinada prova, pedalo de casa para o trabalho na marcha mais pesada, com mais carga". Para ela, a força imposta no exercício é complementar ao treino principal e não concorrente. "Se o foco é a corrida, a bike deve ser complementar, para ajudar no desempenho das passadas na pista". 

RECUPERAÇÃO ATIVA. Intercalar a bicicleta nos descansos da corrida é uma forma de fazer um descanso ativo, explicam os treinadores. "O descanso é tão importante quanto a atividade física", explica Cohen. Isso porque, durante a atividade física, entramos numa fase catabólica (consumo, gasto), ou seja, estamos catabolizando energia, destruindo nossas fibras musculares, gastando nossas reservas energéticas e gerando "estresse" muscular, explica o médico. 

"No período de recuperação entramos numa fase anabólica (síntese, reparação), de recuperação dos substratos energéticos gastos durante a atividade física e da reconstrução das fibras musculares lesionadas". Logo, o equilíbrio entre essas duas fases traz um bom funcionamento das funções vitais do organismo, evitando assim as conseqüências indesejadas do super-treinamento. 

APRENDA COM QUEM PEDALA. O heptacampeão do Tour de France, Lance Armstrong foi, durante muitos anos, o astro das pistas sobre duas rodas. Com ele, não tinha para ninguém. Quando aposentou a magrela e resolveu fazer a Maratona de Nova York, em 2006, concluiu os 42 km em 2:59:36, ficando na 214ª posição (na prova correm cerca de 30 mil pessoas). "Considerando todos os Tours de France que participei, até os piores dias de competição, nada foi tão difícil ou me deixou com uma sensação tão grande de cansaço como fazer uma maratona. Mas o condicionamento do ciclismo, sem dúvida, foi essencial para meu desempenho abaixo de três horas de prova", disse o atleta após a prova. Em 2007 ele baixou seu tempo para 2:46:43 em NY e este ano vai estrear na Maratona de Boston. 

"De fato, a bike é uma excelente ferramenta para estimular e melhorar os treinos de corrida, seja para uma prova de 10 km ou para uma maratona. É um descanso ativo que poucos brasileiros fazem", explica o atleta Hugo Pradoneto, único brasileiro a trabalhar com o Carmichael Training System (CTS), centro de treinamento norte-americano voltado para ciclistas e atletas de outras modalidades, amadores e profissionais. O treinador aconselha uma hora no pedal como forma de descanso ativo, após os treinos mais exaustivos de corrida. 

Mas não precisamos ir até os Estados Unidos para termos ciclistas que trocaram a magrela por um par de tênis. Varias pessoas contaram experiencias de ciclista durante anos e quando decidiram começar a correr constatou que não era nada difícil e logo estava fazendo 20 ou mais quilômetros. O condicionamento no ciclismo permitiu preparar para maratonas em apenas dois meses e completar maratonas e meia maratonas de 42 km como a de Blumenau em 3h04m.


BENEFÍCIOS DA RECUPERAÇÃO ATIVA (USO DE OUTRA MODALIDADE ESPORTIVA NOS INTERVALOS DA CORRIDA)


- Redução do número de lesões, pois diminui o impacto repetitivo da corrida e o corpo continua em atividade, com exercícios que fortalecem outros músculos da perna e protegem o joelho do atleta que corre.


- Melhora a agilidade, habilidade e o equilíbrio, pois mesclando outras atividades, o atleta desenvolve diferentes técnicas


O QUE O CORREDOR GANHA PEDALANDO


- Descanso dos músculos usados na corrida, mesmo pedalando


- Aumento da flexibilidade: os músculos posteriores da coxa alongam de maneira relaxada


- Trabalho do sistema cardiovascular


- Fortalecimento dos músculos da perna


- Trabalho dos músculos superiores (braços, costas), principalmente no mountain bike


- Fortalecimento dos tendões e articulações, diminuindo o risco de lesões


- É uma ótima maneira de relaxar entre uma prova e outra de corrida e de variar o treino


ATENÇÃO


- Os esportes de mesma intensidade e impacto que a corrida devem ser feitos em dias alternados e, nunca, juntos


- Atividades de relaxamento, flexibilidade ou alongamento são indicadas no mesmo dia da corrida, desde que haja disposição física


- O treino de corrida regenerativo pode ser substituído por braçadas na piscina ou no mar, ou um passeio de bike, com carga leve a moderada


- No planejamento da temporada, o treino de corrida deve preencher pelo menos três dias da semana do atleta, já que essa é a atividade principal


- Qualquer sinal de dor, desconforto, cansaço excessivo e tumulto na agenda por conta da quantidade de atividades, o melhor é parar o esporte secundário, consultar um especialista e checar como está o corpo. Isso pode ser sintoma de treinamento em excesso (overtraining)

 

Equipe MTB Guaira

Contato

MTB Guaira rua monjoli 790
GUAÍRA - PR
85980-000
+55.4436423614
+55.4499934954
contato@mtbguaira.com.br